Ashton Kutcher deixa ONG que combate exploração sexual após apoiar amigo condenado por estupros

Ashton Kutcher renunciou na sexta, 15, ao cargo de presidente do conselho da Thorn, uma organização sem fins lucrativos que ele cofundou com sua ex-mulher Demi Moore há mais de uma década para combater a exploração sexual infantil.

Por Jovem Pan em 17/09/2023 às 13:43:19
Foto: Reprodução internet

Foto: Reprodução internet

Ashton Kutcher renunciou na sexta, 15, ao cargo de presidente do conselho da Thorn, uma organização sem fins lucrativos que ele cofundou com sua ex-mulher Demi Moore há mais de uma década para combater a exploração sexual infantil. “Após vários dias de reflexão, aprendizado e conversas com sobreviventes, funcionários e líderes da Thorn, determinei que a coisa responsável a fazer é renunciar como presidente do conselho, com efeito imediato. Não posso permitir que meu erro de julgamento desvie a atenção de nossos esforços e das crianças que servimos”, disse em comunicado publicado no site da organização. O ator e sua mulher, a atriz Mila Kunis, foram criticados por escreverem cartas descrevendo Danny Masterson como um “marido dedicado e leal”, um “excelente modelo” e um “excepcional irmão mais velho”. Masterson foi condenado a 30 anos de prisão por agressão sexual a duas mulheres entre 2001 e 2003.

As críticas vieram de figuras públicas como as atrizes Kathy Griffin e Christina Ricci, que destacaram a importância de apoiar vítimas de agressão sexual em vez de indivíduos condenados por tais crimes. O casal fez um vídeo de pedido de desculpas depois da repercussão negativa. A ideia da carta foi uma estratégia da defesa de Masterson para comprovar sua idoneidade e abrandar sua pena. Vários atores também participaram da ação. Ashton, Mila e Danny são amigos de longa data e atuaram juntos, entre 1998 e 2006, na série “That '70s Show”.

*Com informações do Estadão Conteúdo

Comunicar erro

Comentários