China ameaça retaliar Reino Unido por oferecer refúgio para cidadãos de Hong Kong

Por Jovem Pan em 02/07/2020 às 08:30:56
(Foto: EFE)

(Foto: EFE)

A tentativa do governo britânico de oferecer refúgio para milhões de cidadãos de Hong Kong provocou forte reação do governo chinês.A embaixada do país asiático em Londres não demorou para se manifestar sobre a oferta de Boris Johnson aos habitantes da ex-colônia britânica.A representação diplomática se manifestou nesta quinta-feira (2) alegando se opor firmemente ao gesto de Johnson e ainda prometeu tomar as medidas cabíveis para evitar que o movimento se concretize.

A Europa como um todo reagiu muito mal à nova lei de segurança nacional que Pequim impôs a Hong Kong nesta semana.A movimentação para interromper os protestos que tomam conta da cidade há mais de um ano é vista como uma intervenção chinesa no estilo de vida do hub financeiro, que foi colônia britânica entre 1841 e 1997.

Os conservadores britânicos ofereceram dar refúgio para os cidadãos de Hong Kong que decidirem deixar o país insatisfeitos com as medidas de Pequim.Na prática, a oferta de Boris Johnson pode se estender a 3 milhões de habitantes da cidade, que é uma das duas regiões administrativas especiais da China.Embora haja comoção generalizada no Ocidente contra as atitudes de repressão em Hong Kong, não está muito claro o porquê do governo britânico demonstrar tanta generosidade neste momento.

Antes de mais nada é preciso lembrar que à época da devolução do controle de Hong Kong para a China na década de 1990, os próprios conservadores britânicos não demonstraram interesse em receber ninguém de Hong Kong — nem os servidores mais próximos do poder colonial.Foi oferecido apenas um passaporte específico para os residentes da ilha que dá acesso a rede consular britânica ao redor do mundo, mas não o direito de morar e trabalhar na Grã Bretanha.Sem contar no fato de que as portas migratórias das terras de Elizabeth Regina estão sendo fechadas há tempos. E abri-las para 3 milhões de pessoas agora é no mínimo uma contradição considerando que este é o mesmo número de europeus que vivem por aqui.

Portanto, parece evidente que o governo de Londres tem como real intenção provocar a China. Só não se sabe exatamente por que nem o que se pretende atingir com isso.Talvez seja um favor para a Casa Branca. Ou uma reação dentro do contexto do Covid-19. Ou ainda das disputas mundiais sobre o 5G.Como tudo no governo de Boris Johnson, as reais intenções não estão nada claras.

Comentários