Trump denuncia "conspiração" para que dados das vacinas saíssem após eleições

Por Jovem Pan em 20/11/2020 às 21:53:58

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou ter sido vítima de uma conspiração para que os resultados dos testes das vacinas contra a Covid-19 só fossem divulgados após a eleição presidencial no país. Ele acusou a farmacêutica Pfizer de atrasar a divulgação para prejudica-lo. “Fui colocado aqui para fazer um trabalho, e a Pfizer e outros estavam indo em frente com as vacinas. Vocês não teriam uma vacina em quatro anos se não fosse por mim, porque a Food and Drug Administration (FDA na sigla em inglês, orgão equivalente à Anvisa) nunca teria sido capaz de fazer o que fez se eu não tivesse forçado”, disse Trump, que continuou: “A Pfizer e outras, inclusive, decidiram não avaliar os resultados da vacina. Em outras palavras, só liberaram uma vacina depois da eleição”.

Leia também

Dólar sobe e fecha a semana a R$ 5,38 com avanço da pandemia e risco fiscal

EUA dizem que terão 40 milhões de doses de vacina em 2020

Justiça dos EUA proíbe expulsão de crianças imigrantes desacompanhadas

A teoria elaborada por Trump diz que a Pfizer, ao lado de “outras” farmacêuticas, decidiu não divulgar os dados em outubro de forma intencional. “Decidiram adiar por causa do que estou fazendo. Por mim, tudo bem, porque, francamente, isto é uma coisa muito grande, não sei se alguém vai apreciar isto. Então, elas esperaram, esperaram e esperaram, e pensaram em divulgar poucos dias depois da eleição. Provavelmente, haveria um impacto, quem sabe?”, disse Trump, sem apresentar provas. Trump tinha uma coletiva marcada nesta sexta-feira, 20, na Casa Branca. Entretanto, mostrando-se visivelmente irritado, não aceitou questionamentos dos jornalistas.

*Com informações da EFE

Comunicar erro

Comentários