"Não desejo a ninguém essa situação", diz avó de criança internada no Hospital Nair Alves de Souza

Uma família sofreu apuros no acompanhamento de uma criança que precisou fazer uma cirurgia de apendicite.

Por Ivone Lima em 19/01/2021 às 21:43:27
(Foto: Jornalismo/Rede Ilha FM)

(Foto: Jornalismo/Rede Ilha FM)

A impressão que se tem é que a sociedade pauloafonsina está anestesiada, e por isso, não se deu conta ainda, da grave, gravíssima situação do Hospital Nair Alves de Souza. Talvez só venha sentir mesmo quando precisar de socorro médico.

A prefeitura está à frente da gestão plena do Nair, desde o dia 01 de Janeiro e logicamente não tem como resolver tudo num passe de mágica. Já herdou um monstrengo da Chesf.

Só resta ao poder público, a máxima transparência possível do real estado em que se encontra o Hospital. Porque se não o fizer, a realidade acaba revelando da pior forma possível.

Uma família sofreu apuros no acompanhamento de uma criança que precisou fazer uma cirurgia de apendicite.

Para se medir a situação, de acordo com familiares, o menino ficou numa cama sem lençol. Após a cirurgia, não tinha o remédio indicado para a criança tomar. A mãe do garoto precisou comprá-lo.

Na manhã do dia 08 de Janeiro, a mãe teve que tirar a criança para fazer exames que saíram por 1.100 reais.

"Olha, não desejo a ninguém essa situação, hoje gastamos 1.100 reais com exames. É uma vergonha!, é revoltante!, resumindo: só teve agilidade nos exames porque falamos que poderia passar que pagaríamos, quer dizer, se fosse esperar pelo Hospital Deus sabe quando faríamos", desabafou a avó da criança, cuja identidade manteremos em sigilo.

O que diz a prefeitura

Em nota enviada a Jornalista Ivone Lima, a Prefeitura de Paulo Afonso disse que de acordo com a coordenadora do Hospital Nair Alves de Souza (HNAS), não houve registro de falta de lençol. A nota disse ainda que a criança fez uma ultrassom e uma tomografia.

Comunicar erro

Comentários