Hospital suspende cesárea por falta de fio de sutura em Paulo Afonso

A denúncia partiu de pacientes que aguardavam pelas cirurgias

Por Redação Rede Ilha FM em 08/04/2021 às 13:12:31
(Foto: Arquivos/Jornalismo/Rede Ilha FM)

(Foto: Arquivos/Jornalismo/Rede Ilha FM)

Procedimentos cirúrgicos que seriam realizados no Hospital Nair Alves de Souza (HNAS), em Paulo Afonso (BA), foram adiados por falta de materiais como fio de sutura. Além disso, quem trabalha ou já precisou dos serviços no local reclamam da falta de materiais e medicamentos.

As denúncias partiu de pacientes que aguardavam pelas cirurgias e foi divulgada por uma parlamentar durante a ultima sessão da Câmara Municipal de Paulo Afonso.

Não é de hoje que os pacientes que estão na fila de espera para uma cirurgia no Hospital Nair Alves de Souza (HNAS) reclamam. Tanto pela demora do procedimento cirúrgico, como pela falta de materiais básicos, como alguns medicamentos.

As deficiências, segundo alerta um dos profissionais de saúde do hospital que preferiu não se identificar, atingem até mesmo setores de 'referência', como o centro Cirúrgico do HNAS. Conforme diz a fonte, já faltou medicamentos e muitos profissionais são obrigados a ficarem em silêncio. Caso contrario, poderão sofrer represálias.

Segundo um médico ouvido pela reportagem da Rede Ilha FM, a falta de linha de sutura em uma unidade de saúde pode ocasionar sérios problemas ao paciente. "Faltar linha de sutura influi no tratamento e recuperação do paciente, uma vez que ficar à espera de sutura com partes internas expostas, comprometendo a operação realizada, gera risco de infecções", disse o profissional.

Quem já precisou levar um parente ao Hospital Nair Alves de Souza (HNAS) relata a precariedade do serviço. Uma usuária que pediu para não ser identificada, teve seu pai internado lá em fevereiro. Em menos de três horas no local, diz ter percebido a insuficiência do serviço. "Não tinha remédio para o problema do meu pai, eu tive que comprar com meu dinheiro a medicação necessária. É desumano. Pagamos imposto, eles têm que resolver isso", lamenta.

Em nota, a prefeitura negou que tenha faltado linha de sutura. "A Secretaria de Saúde ressalta que não há falta de material no centro cirúrgico do Hospital Nair Alves de Souza. Todos os produtos necessários são disponibilizados para os profissionais, inclusive atestado pelos órgãos de fiscalização", disse o comunicado.

A administração ainda relatou que inúmeras cirurgias vem sendo feitas no hospital. "São o número de cirurgias realizadas de janeiro a março, entre obstetrícia, urgência ortopédica e outros, totalizando 819 procedimentos. No mesmo período, a unidade hospitalar já realizou 13.259 atendimentos, sendo 5728 em janeiro; 3.903 em fevereiro e 3.628 em março", informou a gestão do prefeito Luiz de Deus (PSD).

Comunicar erro

Comentários