Quando Adolescente, Lázaro Barbosa abandonou a escola na 7ª série e tem diversas suspensões no seu histórico

Por Redação Rede Ilha FM, com informações do Bahia Notícias em 18/06/2021 às 00:29:56
(Foto: Reprodução)

(Foto: Reprodução)

Em 2005, a Escola Municipal Márcia Maria de Carneiro Méccia testemunhou a evolução de um jovem de 16 anos. Lázaro Barbosa começou a 5ª e a 6ª série, em um fluxo para acelerar adolescentes mais velhos atrasados em idade escolar, com notas baixas em todas as matérias, exceto Português, onde conseguiu ser aprovado desde a primeira unidade. Para quem iniciou o ano com 3,6 em História e terminou com média 10 na última, Lázaro seria um exemplo da transformação que a educação pode ter na vida de um jovem. A história não termina assim.

O adolescente foi aceito no Fluxo, antiga denominação da Educação para Jovens e Adultos (EJA), pela idade avançada. No ano seguinte, Lázaro não completou 18 anos sem abandonar a jornada pedagógica. Após repetir o mau desempenho da primeira unidade do ano anterior, o jovem abandonou a escola, localizada na sede de Barra do Mendes (BA). Dois anos depois, ele entraria para a história no povoado de Melancia, onde morava e onde estreou para uma vida de crimes.

Antes da passagem pela escola na sede do município, Lázaro estudou em uma unidade escolar da zona rural. Lá os registros não foram encontrados. Entretanto, na Márcia Maria de Carneiro Méccia, além do histórico escolar foi possível encontrar o porteiro Oldegard Sátiro, que há mais de 20 anos cuida da entrada e saída de alunos da pequena escola. Oldegard não se recorda de muitos problemas com o ainda adolescente.

"Lázaro era um menino tranquilo aqui na escola. Tinha o gênio forte, mas não dava problema. Calado e sempre reservado. Não lembro de nenhum episódio mais sério envolvendo ele", revelou ao site ''Bahia Notícias''. O porteiro é um dos poucos remanescentes da época em que o homicida frequentou a unidade escolar, de onde foi suspenso por dois dias, no final do primeiro semestre de 2005, quando ainda era um aluno em evolução. A suspensão, todavia, não aparece na memória.

Segundo a atual secretária escolar, à época do episódio não se registravam as razões para que um aluno fosse suspenso. O ofício encaminhado à mãe de Lázaro, Eva Maria de Souza Magalhães, diz somente que um episódio ocorrido naquele dia levou o adolescente a ser suspenso nos dias 31 de maio e 1º de junho de 2005. "Na certeza de que irá refletir sobre o acontecido e tomar uma postura diferente a partir do momento, agradecemos sua atenção", diz o comunicado.

Em novembro de 2008, dois meses após completar 18 anos, Lázaro comete o duplo homicídio de José Carlos Benício de Oliveira e Manoel Desidério Silva, pelo qual foi preso em Barra do Mendes, no mesmo ano. Dois anos depois, no Complexo Policial de Irecê, o jovem foge para Goiás, onde voltaria a ser preso por mais oito anos, enquanto aguardava transferência para o julgamento pelo Tribunal do Júri da cidade de quase 14 mil habitantes. Lázaro fugiu também em Goiás e irrompeu para o quádruplo homicídio no Distrito Federal pelo qual é perseguido há 10 dias no entorno da capital federal.

Comunicar erro

Comentários