'Quero pedir desculpa a família de Cristal', diz mãe de uma das suspeitas de latrocínio contra estudante em Salvador

Adolescente foi morta com um tiro na região do coração em uma tentativa de assalto enquanto ia para a escola.

Por Redação Rede Ilha FM, com informações do G1 Bahia em 09/08/2022 às 20:37:56
(Foto: Reprodução)

(Foto: Reprodução)

A mãe de uma das suspeitas de matar a estudante Cristal Pacheco, de 15 anos, durante uma tentativa de assalto no Centro de Salvador, pediu desculpas para a família da vítima nesta terça-feira (9).

"Quero pedir desculpa a família, pedir perdão a família de Cristal, dizer que eu também estou sofrendo e que ela perdoe a minha filha. Que ela é uma pessoa doente, ela é uma usuária de crack e eu tenho certeza que ela fez isso porque ela tinha usado a droga", disse a mulher, que preferiu não revelar a identidade.

Em entrevista para a TV Bahia, a mulher contou que, antes do crime, internou a filha em uma clínica, mas ela fugiu após 15 dias na unidade.

"Depois que ela fugiu, tem mais ou menos 20 dias que a gente foi para a rua, eu, a irmã dela, a tia dela, pegar ela para internar. Saímos com o carro da clínica, mas infelizmente a gente não conseguiu pegar, porque ela saiu correndo e entrou em um ônibus", relatou.

A mulher afirmou que a filha vai pagar pelo crime que cometeu. Ela também desabafou sobre a dificuldade de cuidar da mulher.

"Eu já pensei até em comprar uma corrente para prendê-la dentro de casa, mas me falaram que se eu fizesse isso ia ser presa se alguém me denunciasse. Minha filha vai pagar pelo que fez, mas esse problema não acabou, porque existem outros usuários de crack pelo mundo".

As duas suspeitas foram transferidas para o Presídio Feminino da capital baiana, na tarde desta terça-feira (9). A informação foi divulgada pela Secretaria de Administração Penitenciária e Ressocialização (Seap).

Na segunda-feira (8), familiares e amigos de Cristal Pacheco participaram da missa de 7º dia em homenagem à vítima, na capela das Mercês, na Avenida Sete de Setembro.

Gilmara Daiam de Sousa Brito foi detida em flagrante, horas após a morte da adolescente. Já Andréia Santos Carvalho se apresentou no Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) na quinta-feira (4).

Ambas confirmaram participação no crime e Andréia confessou ter atirado em Cristal. A reportagem conversou, com exclusividade, com a defesa dela que relatou que ela estava em "abstinência da droga" e "fora de si", quando cometeu o crime.

Depois de atirar contra Cristal, Andréia fugiu para a cidade de Nova Soure, que fica a cerca de 200 quilômetros da capital baiana. A arma do crime foi encontrada na casa de um adolescente, na Rua do Sodré, no Largo Dois de Julho. Ele foi apreendido pela polícia.

Imagens mostram crime

Cristal foi morta na manhã do dia 2 de agosto, enquanto seguia para o colégio. Ela estava com a mãe e a irmã, de 12 anos, que presenciaram o assassinato. O corpo dela foi sepultado no mesmo dia, horas antes da primeira mulher ser presa.

Uma câmera de segurança flagrou o momento em que a adolescente de 15 anos foi baleada e morreu, enquanto seguia para a escola. Nas imagens é possível identificar Cristal, a mãe e a irmã enquanto caminhavam calçada, quando as três foram abordadas por duas mulheres.

As imagens mostram que as duas suspeitas estavam separadas. Elas esperaram a família se aproximar e abordaram as três. Uma das mulheres parou na frente de Cristal e anunciou o assalto. A adolescente foi baleada logo em seguida e caiu sentada no chão.

De acordo com a polícia, o tiro atingiu o peito da garota, na região do coração. Depois do disparo, as suspeitas deram as costas e atravessaram a rua. O vídeo mostrou ainda que a mãe e a irmã de Cristal tentaram prestar socorro à adolescente.

Um homem que passava no local também ajudou a vítima. Na gravação, um gari aparece. Ele atravessou a pista e foi em direção a adolescente baleada para socorrê-la.

Comunicar erro

Comentários