Afastamento de vereador flagrado ao agredir jornalista na Bahia é prorrogado por mais 30 dias

Vítima trabalhava na prefeitura da cidade e foi exonerada na última semana. Não há detalhes se a exoneração tem ligação com o caso.

Por Redação Rede Ilha FM, com informações do G1 Bahia em 11/08/2022 às 14:42:20
(Foto: Robson Guedes/Jacobina Notícias)

(Foto: Robson Guedes/Jacobina Notícias)

O afastamento do vereador Valnei dos Anjos (PC do B), flagrado ao agredir uma jornalista que atuava na prefeitura de Jacobina, no norte na Bahia, foi prorrogado por mais 30 dias. O parlamentar está afastado das atividades desde o mês de junho.

A vítima foi exonerada da função na última semana, mas não há detalhes se há ligação com o caso da agressão. O g1 entrou em contato com a gestão municipal para pedir um posicionamento, mas não obteve retorno até a última atualização desta reportagem.

A defesa do vereador informou à TV São Francisco, afiliada da TV Bahia no norte do estado, que repudia toda a ação que está acontecendo contra ele e garantiu que se trata de uma perseguição.

O caso aconteceu no dia 5 de junho e foi registrado por imagens de um câmera de segurança. Valnei estava no Arraiá de Santo Antônio, quando esbarrou no pé da mulher, que trabalhava no evento. Ela reclamou com o parlamentar, e começou uma discussão entre os dois. O vereador então passou a agredir a vítima com xingamentos, empurrões e depois deu um soco na cabeça dela.

Nas imagens, duas viaturas da Guarda Municipal de Jacobina podem ser observadas no local e três agentes veem a agressão, mas só se aproximam do vereador depois que outras pessoas já o seguraram. Após agredir a funcionária pública, ele é levado por outras duas mulheres, amparado, como se estivesse alcoolizado.

Na época, o g1 procurou o vereador e ele informou que iria se manifestar através de nota. Posteriormente, Valnei publicou nas redes sociais que era inocente – mesmo com as imagens mostrando a agressão. Na mesma postagem, ele informou que "sempre foi norteado pelo respeito à mulher", e que está à disposição das autoridades.

O núcleo da Comissão de Defesa da Mulher da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) de Jacobina emitiu uma nota de repúdio sobre a agressão.

Comunicar erro

Comentários