Durante campanha em Aracaju, Ciro Gomes, propõe mudança do modelo econômico do país

O candidato disse que enquanto o modelo não for mudado, o presidente que estiver no poder não é suficiente para resolver os problemas econômicos do país.

Por Redação Rede Ilha FM, com informações do G1 Sergipe em 14/09/2022 às 18:45:02
(Foto: Carla Suzane/ TV Sergipe)

(Foto: Carla Suzane/ TV Sergipe)

O candidato à presidência da república Ciro Gomes (PDT) está em campanha em Aracaju nesta quarta-feira (4). Ele concedeu uma entrevista coletiva no Iate Clube da capital, onde também participou de um ato político.

No evento, Ciro Gomes falou sobre diversos temas, entre eles, redução da tributação e a mudança no modelo econômico do país para reduzir o valor dos combustíveis. Ele afirmou que vai atuar com três pilares para retomar o desenvolvimento país.

"Todas as pessoas no domicílio, que ganharem menos de R$ 470, que é o nível de pobreza, passarão a receber um complemento até inteirar R$ 100 reais em média por família, isso na constituição para acabar com história de explorar às vésperas da eleição. A segunda perna é uma renegociação do passivo das famílias. 66 milhões de pessoas estão hoje humilhadas no SPC, e isso não é direito, precisamos refinanciar essas dívidas. Já tenho vivencia com isso, com desconto de 70 a 90% vamos financiar isso com descontos compatíveis, e terceiro, um programa massivo de retomada de 14 mil obras paradas, na direção a cumprir a meta de 5 milhões de empregos em dois anos", disse o candidato.

Ciro também falou sobre o preço dos combustíveis e disse que vai mudar o modelo econômico do país para garantia de preços mais baixos.

"Tudo é o modelo econômico, é o modelo de governança política. No Brasil tudo está montado para privilegiar uma minoria poderosa de barões do sistema financeiro e quem paga essa conta amarga é povo trabalhador, que não aguenta. 70 de cada 100 estão na informalidade ou estão desempregados ou desistiram de procurar emprego. Eu quero mudar esse modelo econômico e esse modelo de governança política, que entra presidente e sai presidente e é impressionante como a gente não quer acordar para isto. Todos os presidente que o Brasil elegeu, da redemocratização pra cá, ou foram presos ou cassados. Só falta o Bolsonaro, porque o Fernando Henrique foi desmoralizado, o Lula foi preso, a Dilma foi cassada, o Collor foi cassado, porque todos eles governam fazendo da corrupção sua ferramenta de poder", acrescentou.

De acordo com a assessoria do candidato, no começo da noite, Ciro embarca para Paraíba.
Comunicar erro

Comentários