Bolsonaro desembarca em Caruaru e faz campanha no agreste de Pernambuco

Candidato do PL à reeleição escolheu sediar os atos de campanha deste sábado em região onde nasceu o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e onde predomina o eleitorado petista.

Por Redação Rede Ilha FM, com informações de Rodolfo Costa, da Gazeta do Povo. em 17/09/2022 às 10:36:45
(Foto: Isac Nobrega/PR)

(Foto: Isac Nobrega/PR)

O presidente Jair Bolsonaro (PL) apostou em falas sobre a família, sua contrariedade ao aborto e o Auxílio Brasil em sua agenda de campanha em Caruaru (PE), neste sábado (17/09). Pela tarde, ele participa da Marcha para Jesus em Garanhuns (PE), a terra natal do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). O petista nasceu no hoje município de Caetés, que à época era um distrito de Garanhuns.

O presidente desembarcou em Santa Cruz do Capibaribe (PE) e seguiu de motociata até Caruaru, passando por Toritama (PE). Em comício, disse que defende "a família de verdade" e que não admitirá a legalização das drogas, do aborto e a ideologia de gênero no Brasil. Além das falas sobre a família, Bolsonaro disse que o "presidente", "seus ministros e candidatos" são cristãos.

Os acenos do presidente aos cristãos fazem parte da estratégia traçada pela campanha para convencer o eleitor nordestino de que Bolsonaro e a população da região defendem as mesmas bandeiras conservadoras e cristãs. O núcleo da campanha de Bolsonaro entende que a maioria dos nordestinos defendem os mesmos valores sobre família e o direito à vida que o presidente. Mas avalia que eles sofreram a influência política e ideológica de partidos de esquerda.

Como também era previsto, Bolsonaro defendeu o Auxílio Brasil e destacou que o ticket médio pago pelo novo programa social é superior aos desembolsos no período do Bolsa Família na gestões petistas. O candidato disse, ainda, que o "PT só pensa em ajudar as pessoas na época da eleição".

A fala sobre o Auxílio Brasil é estratégica para a campanha em todo o país, principalmente no Nordeste. Segundo dados do governo federal, das 20,65 milhões de famílias beneficiadas pelo programa, 9,58 milhões estão localizadas na região, ou seja, 46,39% das famílias. O investimento pago para a população da região é de R$ 5,77 bilhões, e o valor médio recebido por família é de R$ 607,50.

Energia, combustíveis e titulação de terras: o que mais disse Bolsonaro

Além da tática de assumir para si a "paternidade" do Auxílio Brasil, Bolsonaro também falou sobre outros temas sociais. Um deles foi sobre a titulação de terras e como essa política atua em oposição às invasões por movimentos dos sem terra. A fala é um aceno ao conservadorismo mais rural no Nordeste.

O candidato à reeleição disse que seu governo transformou "antes integrantes da máfia do MST [Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra] em cidadãos" ao dar "títulos da reforma agrária" para mais de 400 mil famílias. Segundo informações do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) no início de setembro, haviam sido entregues títulos a 404.993 famílias rurais.


Comunicar erro

Comentários